O bicho "Papão"




Ter um blogue de merda não é só um poço infinito de coisas más. Por vezes também acontecem coisas das quais nos vimos posteriormente a orgulhar! Desta vez tenho-vos a contar a história de uma pessoa que depois de ler este blogue da treta, ficou com a racha demasiado húmida para continuar a viver, e resolveu vir pedir ajuda aqui ao bombeiro para lhe apagar o fogo. A Red One, apresentou-se via Facebook, com uma conversa tímida, e ao mesmo tempo curiosa. De facto jamais imaginaria que as suas reais intenções fossem de se masturbar comigo no pensamento, tal a horizontalidade do seu discurso. Já diz o ditado que a curiosidade matou o gato, e nós fomos conversando até ao dia em que, após alguma insistência da minha parte, ela cedeu a sair comigo. De noite não porque tinha medo (e porque eu sou feio como o Papão), mas fomos bater um papinho (lol, esta teve piada) ao final da tarde. Encontra-mo-nos nas galerias de um centro comercial e ficamos por ali a conversar um pouco, até que a escuridão se foi abatendo sobre este planeta. Eu estava também curioso, e descobri que uma pessoa que nos agrada virtualmente, pode vir a ser uma surpresa ainda melhor. Só de a ver, confesso, fiquei com um tesão do caraças.
Conversa puxa conversa e ela pediu-me boleia para casa. Claro que eu pensei logo que este voo ia ter escala. Por caminhos não tão frequentados, resolvi ir dando alguma conversa mais picante a esta morena de olhos castanhos. E vocês sabem o meu tesão por morenas! Quando me dei conta, a tímida internauta tinha a mão na minha perna e vagarosamente foi circulando até me tocar o pau que ainda se encontrava aprisionado dentro das calças. Não me fazendo rogado, encontrei um sitio interessante para enconstar e respondi com um longo e quente beijo. Beijos e mãos a reinar, e eu senti que o meu pau estava teso como há muito não o sentia. Desaperto-lhe os 3 botões que lhe seguravam as calças, e coloco os meus dedos bem fundo na sua fenda, já ela toda húmida. Os seus pequenos gemidos de prazer foram gradualmente sendo substituidos por uma maior acção sobre o mau pau, que entretanto já tinha saltado para fora da cela. 
Enquanto o meu bravo guerreiro lutava para não se esvair em liquido dentro da sua boca, eu aproveitava para fazer uma batalha com os seus seios, magníficos e com uns bicos que serviam para pendurar a roupa, de tão tesos que estavam. A roupa foi-se separando como que por sublimação do nosso corpo. Encamisei o bicho papão e olhando-a nos olhos penetrei-a lenta e carinhosamente. Ao deslizar para o fundo da sua apertada cona, o meu pau ia palpitando. Beijava-a para acalmar o meu tesão, e apreciava o escorregar do meu rei para dentro do seu castelo. As nossas respirações entrosaram se e o nosso ritmo foi acelerando. Enquanto eu lhe levantava as pernas para a penetrar bem fundo, ela gemia e procurava a minha lingua. Saltou para cima de mim e montou-me como se ela fosse a cavaleira e eu o seu melhor cavalo. Veio-se, gritando de prazer e pedindo sensualmente: "-Chama-me de puta! Chama! Por favor chama!". Eu desenterrei o machado de guerra, tirei-lhe a capa, e manualmente terminei, sujando-a nos peitos e barriga. Ela esfregou-se e enfiando o dedo na sua cona disse-me: "Fizeste valer a tua fama. Fodeste-me como nunca ninguém me tinha fodido!"
Para a compensar por ter sido tão sincera, resolvi sem demoras enfiar a minha cabeça entre as suas pernas, na tentativa de lhe oferecer um novo orgasmo, o que não aconteceu apesar do meu esforço.

A Red One realizou assim a sua fantasia de foder com o Charmoso, e eu não sei se a voltarei a ver, mas gostava.

Mais uma bela foda a juntar na minha conta...

5 comentários:

  1. Anónimo5/5/13 17:40

    Ai charmozinho como tu me engraxas.

    ResponderEliminar
  2. Nada de panos nos sapatos ;)

    ResponderEliminar
  3. Delicia de blog!!!!
    Visitarei mais vezes.
    Fiquei curiosa...bjos

    ResponderEliminar

Venha-se por cá!!!