"The Sex Thing"

Se há uma conversa que me irrita profundamente, é a de que os homens não buscam nada mais do que sexo! Se isso fosse verdade, homens não casavam, não tinham filhos, não namoravam, e nem sequer constituiam família.
Quem diz isto, normalmente, são mulheres que nada mais têm a oferecer a não ser sexo. Nada nas mãos, nada nas mangas... nada na cabeça!

Por isso, meninas, se tudo o que têm para dar é sexo, não esperem do homem nada mais do que um interesse naquilo que podem oferecer. Ninguém vai à farmácia comprar cebolas, porque sabe que lá não oferecem cebolas para venda!



Fica a dica baby's!! Não precisam agradecer! ;)

Querida, ups que borrei a pintura!

Uma das queixas recorrentes quando a conversa entre os bravos machos alpha é acerca do tão desejado sexo oposto, é a de que elas demoram muito a vir-se! É sofrível, mais do que qualquer mulher pode imaginar, a quantidade de reclamações masculinas acerca deste ponto em concreto.
Eu, qual ignorante sexual, pergunto-me de forma recorrente qual o motivo desta frequente reclamação, já que quase todas as mulheres têm orgasmos comigo (quase, também falho hein!!!).



Não há fórmulas matemáticas quando de orgasmos femininos falamos, o que há é uma necessidade de conhecimento da parceira, dos seus timings, dos seus pontos eróticos e acima de tudo, lembrem-se, o principal orgão sexual é cérebro! Homens de Portugal, não descarreguem nas mulheres as culpas das vossas falhas! Apliquem-se, esperem por elas e vão ver o resultado.

Como Ser Santa Deitando Fogo Pela Boca (Versão 1 revisão 3 Capítulo 7 Parágrafo 288)

Com tanto pó instalado na minha sessão do blogger.com, só algo especialmente importante me poderia fazer sacudir das ideias toda essa poeira, e por os dedos à escrita.

As mulheres, diz-me a minha experiência, são dotadas de uma enorme habilidade em ludibriar o ser masculino. Aprendem onde? Pois é, elas não aprende, é algo que simplesmente já nasceu com ela e que não tem outra explicação que não seja pela Teoria da Evolução de Darwin. O Facebook é hoje uma porta escancarada para perceber isso.

C., e é assim que me apetece chamar-lhe (Lê-se sii... si tu fosses minha, si tu fosses comigo, si!!!), chegou a mim através de uma sugestão do Facebook. Eu bem não queria, mas a maldita rede social tudo fez, dia após dia, para escancarar o rosto belo e simetricamente sorridente da C., até que eu caí na tentação. Bastou um pedido de amizade para ela entrar logo de carrinho, tipo aqueles jogadores do campeonato amador, que entram de carrinho para levar na frente relva, jogador, terra e tudo o que houver! Bastou o seco "Por acaso eu conheço-te?" para eu perceber que estava a lidar com uma pessoa tão bem humorada quanto um homem consegue estar quando está há 263 dias perdido numa encosta da Sibéria.

Mas, a única verdade é que C. é coroada de uma curiosidade extrema, e as perguntas seguiram-se umas atrás de outras. Sim, um rolo de perguntas sem fim, e cada uma elas aplicada no exato momento, qual xeque-mate. Enganem-se se pensam que as perguntas eram sobre o tempo, sobre o funcionamento hormonal, ou acerca da nova estirpe de vírus descoberta no Burúndi. Todas elas perguntas estrategicamente colocadas acerca da mais antiga forma de viver uma relação: a traição!


Eu sei que sou catedrático na arte de saltar a cerca do vizinho, mas, dá-me realmente algum gozo ver que alguém quer aprender todas as técnicas de engate!

É muito provável que seja para utilizar em testa alheia!

NOTA: desculpem ter escolhido uma foto com um homem bem mais feio que eu, mas foi o que arranjei.

Entrar a perder


Hoje, ao entrar na tão popular rede social cujo nome começa por "F" e acaba em "acebook", dei por mim a reparar numa situação nunca antes por mim detectada. Existe um grupo de homens, aparentemente em grande número, que eu denomino de trogloditas virtuais (sociais e até mesmo reais). No apogeu do seu estado normal, estes seres que partilham comigo características genéticas, são capazes de coisas inimagináveis como: enviar fotos de pau (sem ser a pedido), fazer propostas obscenas na primeira abordagem, comentar publicamente um valente "Quero-te comer!", entre outras acções que roçam o limite da ignorância humana.

É quando vejo este tipo de coisas que deixo de duvidar da nossa descendência dos macacos. 

Este tipo de coisas, enquanto homem, deixa-me interrogativo. Eu partilho padrões genéticos com a mesma pessoa que escreve coisas assim? Será que também tenho essa estupidez armazenada dentro de mim, ou será que apesar de ambos sermos XY, as minhas letras são em maísculas e a de certos homens em minúsculas?

Dou por mim a perguntar a mim mesmo o que leva uma pessoa a agira assim! Desespero? Ignorância? Má educação? Falta de respeito por si próprio? Pelos outros? Por todos? Incapacidade de pensamento? Falta de estratégia? Factores sociais? Com a minha 4ª classe não consigo dar resposta a isto, mas, consigo sim chegar a algumas conclusões factuais. O que leva um "home" que deseja uma mulher (seja para casar ou apenas acasalar) a agir de uma forma que não leva a resultados? Não creio que a estratégia que esta estirpe de machos utilize leve a resultados positivos, e custa-me a entender o que os leva a insistir na mesma estratégia. 

A conclusão a que chego é que ser homem é, definitivamente, quando de sedução (engate) falamos, entrar no jogo a perder. Tudo graças a estes seres pré-históricos que denigrem o sexo forte. Se por vezes me envergonho de ser Homem, a eles o devo! Uma mulher, quando abordado por um homem, activa logo todas as suas defesas, não vá dali sair um ser cavernoso e capaz das maiores brutalidades visuais, fonéticas e/ou gramaticais.

Machedo de Portugal, fica o conselho aqui deste jovem sedutor de meia tigela! Procurem a mudança dentro de vocês mesmos e actuem com o carinho, delicadeza e respeito que a situação impõe.

E vocês? Acham que ser homem é entrar no jogo a perder?

Insónias

Detesto noites como a de hoje em que simplesmente não consigo adormecer. Por muitas voltas que dê na cama, e dou muitas, nada me faz dormir.

Dia Mundial do Sexo

Hoje comemora-se o Dia Mundial do Sexo. Para mim este dia é feriado, e acordei às 5 da manhã para mandar a bela da trancada com a Mulher. Neste dia, já li algures que é preciso chamar a atenção para o facto de as relações serem muito mais do que sexo, e, na verdade, eu concordo. As relações também são foda, tesão, provocação e sensualidade! Não me acredito que exista nada mais do que uma amizade quando uma relação vive sem sexo.

Foi para provar esta minha teoria que, às 5h da manhã quase em ponto despertei, de forma inconsciente, com uma erecção dura o suficiente para que um(a) ginasta se pudesse equilibrar no seu topo só com um pé. Com tamanha erecção no meu longo pau, não me fiz rogado a me virar e começar a beijar o pescoço da Mulher, que despertou, e ainda reticente com o sono, murmurou algo como "Mais logo!". Mas eu não sou homem de mais logos, e depressa me compus a acariciar o seu clitóris que não tardou em começar a dar sinais de inchaço! Já com a coninha bem molhada, e desperta, coloquei a Mulher de 4 e estivemos largos minutos a fazer abanar a cama. Tempo o suficiente para ela se vir duas vezes, enfiando a cabeça na almofada abafando os berros, para não acordar os miúdos! Com a Mulher satisfeita, foi a minha vez de retirar o pau todo molhado da sua rata e com alguns gestos de mão fazer jorrar todo o meu leite nas suas costas, vendo-o escorrer para o seu rabinho que eu também gosto de papar (mas hoje não foi  dia... ainda....).


E vocês? Como vão comemorar o Dia Mundial do Sexo?

The Pure


Estes dias, armado em nabo, conheci através do Facebook uma rapariga, muito bela e singela, que tem nada mais que 22 anos, e é um traço daqueles!
Não obstante a qualidade fodível da figura, no acto revelou-se uma autêntica borra tesão. Além de não saber mesmo foder, só reclamava do enorme tamanho do meu mais que tudo (aquilo que todas adoram).

Estas mulheres estão a ficar muito fraquinhas!

Photos

Eu só faria um post com a fotografia da minha "espada" se toda a gente que me lê tivesse ecrãs de 24"!

Momento EGO do dia.

Eu e o tal Deus

Por vezes nós somos uma antítese de nós próprios, imaginando que não temos fé naquilo que nós próprios seguimos. Apesar do meu ateísmo, há coisas que são por demais evidentes em mim mesmo. A começar pelo título deste post, onde, apesar de não ter qualquer crença nesse tal ser dominante, não deixo de o mencionar com o respeito que o D maíusculo transmite.

Este post vem a propósito, curiosamente, da minha relação com Deus, inexistente, ou, melhor dizendo, uma relação de descrença e maldizer. Eu digo que ele é um traste que vive da ignorância dos outros, ele de mim deve ter muitas coisas más para dizer, levando em linha de conta que não sigo os seus registos biblícos, nem os seus desígnios.

Mas, nem por isso deixo de o respeitar. E, curioso é, em pequenos detalhes do dia a dia...

Não deixa de ser interessante que, de cada vez que deixo um sapato com a sola virada para cima, lembro-me dos raspanetes da minha mãe, em criança, dizendo que deixar os sapatos nessa posição era uma afronta a Deus e que iria ser castigado com a sua ira. Não sei se era uma técnica da D. Mãe para eu ter sempre o calçado arrumado, mas a verdade é que este dogma ainda hoje me persegue, obrigando-me todas as noites a ter aquele momento em que me obrigo a mim próprio a arrumar o calçado.

Afinal, como sempre disse, a religião será sempre mais uma forma de instruir, educar e fazer atingir valores morais, do que uma realidade palpável.

Haja sapatos!

Fome

Ando cá com uma fome! Ai ando, ando.