Brejeira, ou a vã vontade de fumar.

Hoje os meus filhos foderam-me a cabeça porque queriam ir ao MacDonalds. Nem pestanejei porque, pese o facto de eu nem gostar muito da comida, é sempre um putódromo de gajas boas.
Estava eu a dar ao bife quando reparo numa supergajahiperboa que estava mesmo a terminar a sua refeição na área exterior. Fiquei logo vidrado e qual hamburger qual caralho, eu já só via a gaja a mamar no meu pau.
Sensualmente ela saca de um cigarro e começa a fumar. E foi aí que o caldo entornou. Há regras básicas que quem fuma tem que cumprir. 
Primeiro, não é bonito fumar enquanto se tenta sacar, com a língua, o bocado de carne que ficou entalado no buraco do dente. Podem pensar que isso é um processo interno da boca, mas acreditem: toda a gente percebe o que estão a fazer. 
Segundo, como em tudo na vida, se querem que algo vos valorize pessoalmente, têm de saber fazer essa coisa. Toda a gente começa a fumar para se armar. Eu não fui excepção, mas felizmente já larguei o vicio! Mas sabia fumar... Fumar, quando bem feito, pode até ser um acto de elegância. Por isso se querem fumar, pelo menos façam-no como manda a batata frita!

Agora vamos fazer fumaça?

Sem comentários: