Sport goofy!

Esta é uma recordação acerca do primeiro dia do resto das nossas vidas!
(in memorium de J.A. o homem que tornou este dia possível)

Para os menos ágeis em matemática, eu tinha em 1996 tanto como 16 anos. Quando a época desportiva começou, esses mesmos 16 anos estavam acabadinhos de fazer. Era um miúdo. Franzino. Desde os meus 9 anos, idade em que comecei a jogar, que a equipa se vinha a manter mais ou menos a mesma.
No primeiro dia de treinos dessa época 1996/97, à chegada ao treino, um funcionário do clube veio ter comigo e disse-me:

" - Hoje não treinas miudo! Tens de esperar que venha o Presidente!"

O meu suposto treinador à chegada disse-me a mesma coisa. Eu pacientemente sentei-me num dos bancos de suplentes, enquanto assistia aos treino dos meus colegas. Entretanto chega o Presidente, que me manda um grande abraçoe diz-me:

"Charmoso! A partir de hoje passas a treinar com a equipa sénior principal. Agarra esta oportunidade com as duas mãos."

Na verdade, o primeiro sentimento que tive foi o de separação. Apesar de continuar a conviver com os meus antigos companheiros, não mais iria voltar a treinar com eles, só os iria ver em dia de jogo. Acabavam-se as brincadeiras de balneário. As palhaçadas no caminho para o treino. Enfim, foi um sentimento de desmembramento. Depois veio o sentimento de distanciamento. Eu não ia treinar com eles, mas sempre que não fosse convocado para jogos da equipa sénior iria jogar na equipa júnior.
No primeiro treino junto daqueles homens feitos todos, senti-me deslocado. Agora partilhava o balneário com algumas das minhas referências desportivas. Sinto agora que este foi o primeiro dia do resto da minha vida: passei a fazer parte do mundo dos adultos. O meu novo treinador (J.A) deu-me algumas palavras de incentivo e vaticinou-me um futuro brilhante. Custou-me habituar à dureza da nova etapa, mas em poucas semana senti-me "parte da equipa".
Apesar de nas primeiras jornadas ter sido parte integrante da convocatória, a oportunidade de estreia nunca tinha chegado. Foi num jogo para a Taça de Portugal, a 23.Out.1996 que essa oportunidade surgiu. O jogo estava a ser uma catástrofe para nós e o meu treinador já não sabia que mais alterações fazer para inverter a situação. Ao intervalo pediu-me para aquecer. O jogo recomeçou e eu mantive-me a aquecer. Ele ia olhando para mim e ia olhando para o campo, até que me fez sinal com as mãos para tirar o fato de treino. Já em calções, e a mostrar as minhas lindas pernas, recordo de ele me ter colocado o seu braço sobre o meu ombro e me ter dito:

"Vai lá rapaz. Não há muito a dizer... Entra e faz o que sabes."

E, mal entro, na primeira vez que toco na bola, faço um golo daqueles que nunca mais ninguém se esquece para toda a vida. Ainda hoje os meus ex-colegas falam disso. Demos a volta ao jogo, seguimos em frente na Taça e foi uma época memorável para o clube. No final da época seguinte dei o salto, mas este clube que me fez Homem, ficou para sempre na minha memória.

Isto só para dizer que nem só de sexo vive o homem!!

6 comentários:

S* disse...

E foi assim que ele passou a fazer parte do mundo dos Homens. E a primeira vez, quando foi? ahahah

disse...

Ou é sexo ou futebol... são tão básicos vcs... eheheheh!

i just can´t get enough disse...

Meu bom amigo, sei bem que tu és uma caixinha de pandora. E bem sei que há tantas, tantas coisas que te fazem viver.Beijo grande

Lakshmi disse...

É...apesar de parecer que também vive de futebol não é bem isso!!!
Seu sentimentalista disfarçado!
Beijito

Lisa disse...

Sexo e futebol... 'ta certo... no fundo marca-se golos de ambas as maneiras... =P

Mas gostei especialmente do "romantismo" da escrita... Afinal há sempre um pouco de romance naquilo que mais gostamos... ;)

Carla disse...

Anda tudo à volta do mesmo,não?
ahahahahaaha

agora a sério:
e que clube era esse? (Pergunto eu cheia de comichão)...isto de ser cusca tem muito que se lhe diga...deixo-te um beijinho em forma de congratulações pelo passado desportivo