A vida é para viver. (Ponto)

Tenho para mim que um dia tudo correrá mal na minha vidinha. Os meus joelhos vão ceder ao passar dos anos, vou ter problemas de refluxo gastro-esofágico, ter mais pêlos do que o Tony Ramos, e tomar doses excessivas de Viagra ou outra merda parecida, para pelo menos conseguir levantar o pau, quando nesses dias vir-me será uma miragem.
É por essas e por outras que tento aproveitar todas as oportunidades que a vida me dá, enquanto consigo usufruir e saborear convenientemente as coisas (as merdas, quis eu dizer). Mas a verdade é que mesmo fodendo tanto e de forma tão diversificada (mas segura) como eu o faço, deparei agora com um problema: não tenho partilhado aqui com o meu secreto confidente essas aventuras, esses momentos de prazer mútuo. É uma pena, pois no dia que criei este blogue foi com o intuíto de desabafar aqui, aquilo que achava condenável contar aos amigos.
Muito teria para contar sobre os últimos tempos. Muito mesmo. Coisas boas, mas também algumas menos boas. Essas temos de limpar do nosso caminho. Sonho não raras vezes com um vasto e cheio auditório. Momentaneamente todos se calam. O silêncio excita as mentes dos presentes que anseiam pelas palavras sensuais que prometi usar. Assim que me sento e que tudo escurece uma voz emerge no sistema sonoro antigo: "O programa para esta noite não é novo, vocês já sabem todas estas histórias das vossas próprias vidas., basta que recordem os vossos passados, fazendo emergir os vossos futuros. Vocês nasceram, vivem e hão-de morrer! Mas .... Quantos de vocês teve na verdade uma vida de digna de registo?"
Este sonho constante faz-me obrigar a registar a minha vida, pois acho para mim que ela é digna de registo.

2 comentários:

Sis disse...

Então conte-me Charmoso.Você tem me "ajudado" com seus "registros" ;)

Venúsia disse...

Hum... Parece que penso de igual modo... Sempre apreciei o registo diário, bem elaborado. Os romances são balelas eu gosto do real: puro, nu e cru.