Quintino Aires

Hoje tirei a tarde para vos falar de uma coisa importante. Tão importante que tirei a tarde para isso. Portanto espero que este texto faça jurisprudência nas vossas mentes. Hoje, vim para vos falar de um ser chamado Quintino Aires, doravante designado por Palerma. Para quem não sabe quem é o Palerma, também não vou explicar, pois é para isso que serve o Google.
Basicamente, para chegar à conclusão que pretendo, tenho de vos explicar que este ser que fala como se lhe estivessem sempre a apertar os tomates, é parte integrante do opinatório sobre sexo que passa nas tardes da Antena 3, que dá pelo nome de A Hora do Sexo.
Pois, se mete sexo eu oiço, e se mete sexo eu percebo. Este pseudo-psicólogo clínico, amplamente premiado pela coleção de carneiros do rebanho social conhecido pelos Conas, conseguiu deixar aqui o Charmoso de boca caída (mas fechada). Quem ouve diariamente o programa vai-se apercebendo das inúmeras falhas à coerência argumentativa e ideológica deste senhor. Até aí, eu já tinha percebido que este senhor tem capacidades mentais limitadas e que limita-se a despejar coisas num tom "à bem". É aquilo o ganha pão dele, é natural que as suas opiniões se adaptam ao que as massas querem ouvir. Daí que, para quem quiser usar da memória, a incoerência reina naquela cabeça. Deve ser de andar sempre com os guizos apertados, e daí também a sua voz de gaja a parir. Mas a surpresa foi uma. Uns dias atrás, o Palerma falava de infidelidades e disse: "Quem é infiel é imaturo. Nenhuma pessoa que trai conseguiu crescer mentalmente" (ou something like that).
Não obstante o respeito que devemos ter pelas opiniões dos outros, eu reservo-me no direito de aceitar apenas as opiniões de quem tem opinião. Ora, se a opinião varia conforme o dia é porque não há opinião. E se não há opinião ela não pode ser aceite!
Não podia discordar mais desta afirmação. O senhor palerma já devia ter percebido que quem trai está num estado cognitivo muito além do status onde algum dia ele poderá chegar. Assim como só alguns (os mais capazes) conseguem executar duas tarefas ao mesmo tempo (plano físico), também apenas e só alguns (os mais amadurecidos) conseguem nutrir sentimentos por duas pessoas ao mesmo tempo (plano emocional). Nutrir vários sentimentos em simultâneo pela mesma coisa/pessoa, isso então nem se fala. Há quem o consiga! Isso sim é estar muito à frente. Daí que a minha opinião seja oposta à do Sr. Palerma.

E por causa dessa frase decidi deixar definitivamente de ouvir a merda da rádio que até curtia.

7 comentários:

► JOTA ENE ◄ disse...

Amigo, por acaso conheço esse Palerma e corroboro o que dizes. Ninguém é dono da verdade, e cada um sabe de si.

Enfim... acho que lhe deste demasiado importância. Aquelas beiças enormes nunca me enganaram :)

Abraçoo!

Sexy Couple disse...

Acho que dificilmente encontrarás consenso num tema tão controverso (ou não) como é a fidelidade, ou a falta dela.

Admito que sim, que é possível amar duas ou até mais pessoas ao mesmo tempo.

Mas não consigo concordar que seja esse o caso de todos os que são infiéis.

Acho até (e isto é a minha opinião, e como tal só vale o que vale) que alguns só se amam a si próprios, mas são muito capazes de executar várias tarefas (plano físico) ao mesmo tempo.

Penso que todos devemos ser felizes...

Beijo sexy,
Ana

Blackye disse...

Vai-me desculpar mas não sou da mesma opinião.
Primeiro porque também ouço o programa diariamente e mesmo achando que aquilo que ele diz é fruto do conhecimento como psicólogo (não se baseia maioritariamente na experiência pessoal) acho interessante o que diz e não penso que erre em tudo(se bem que também haja coisas que me deixam a pensar: "Mas que raio?").

Quanto ao tema da fidelidade, não haverá de certeza uma opinião maioritária formada. Pessoalmente, independentemente dos motivos e dos porquês da pessoa que o faz, sou da opinião (e sempre fui) que quem ama não trai, mas respeito quem não pensa assim, claro.

Concordo com o que já foi dito: cada um saberá de si.

Beijos e bom fim de semana.

_Quem_não_acredita_ disse...

Ora bem, em primeiro lugar, é bom passar por cá...
Em relação à fidelidade, cada um é feliz da forma que quer viver, no momento que está a viver.
O importante mesmo, é ser feliz, ou pelo menos tentar.
Kiss

Anónimo disse...

Cá me parece que não gostou foi de ouvir o que merecia.

Anónimo disse...

mas não há ninguem que faça queixa na ordem dos psicólogos desse palerma? Não dignifica em nada a profissão! Só diz asneiras e o mais grave é que as pessoas, por desconhecimento, e por darem importancia porque é um "psicologo" que fala, lá vão aceitando as barbaridades.

só 1 mulher disse...

Desde que as pessoas se sintam bem, com as escolhas que fazem, ninguém é melhor do que ninguém para fazer criticas... até porque acabamos por estar todos sujeitos a isso

1 beijinho