Freelancer

Já dizia Fedor Dostoievski, um dos maiores romancistas da lieteratura russa,  que "não há nada mais desesperante para um homem do que, ao ver-se livre, encontrar a quem sujeitar-se, poia a falta de liberdade não consiste jamais em estar segregado, e sim em estar em promiscuidade, pois o suplício inefável é não se poder estar sozinho."
Nunca tinha percebido a enorme promiscuidade existente entre o termo freelancer e eu próprio. A própria palavra provoca-me, seduz-me e faz-me explodir num orgasmo de letras e conceitos. Ambicionando a plena liberdade, a de espírito, a da criatividade, a da libertação da solidão acompanhado, sinto-me um caminhante desacompanhado de todas e quaisquer correntes. Gosto de assim ser. De sentir que posso mudar a minha vida do dia para a noite, sem que nada me faça prender.



Sou um freelancer do amor, da vida e da ocasião! Queres viver um bocado desta minha vida?

7 comentários:

Noivo disse...

Um conceito interessante :)

Carolina Tavares disse...

sem rosto... sem problemas... só puro prazer... hummmm acho um pouco de ilusão, mas...

desejo disse...

Interessante a conotação que deste à palavra.
I wish I could...

Flausina disse...

Será que nada te prende mesmo???!!!
Huum...
Não teremos um errante da noite, onde algo o prende???!!! ou, onde algo o liberta???!!

Beijos

Mars disse...

bela foto :)
gostava de nao ter nda qe me prendesse, poder mudar a vida do dia para a noite. Mas a vida (e o amor) não é tão cor de rosa como nos fazem crer em crianças. Quando nos desiludimos, estamos presos...

Di disse...

O Fedor sabe muito.Ainda não li o Crime e Castigo mas como boa menina que sou já li os irmãos karamazov.
Se eu podia fazer um comentário sobre sexo?Sim,mas era a mesma coisa.

Sis disse...

Você é ótimo!!!!!!